Trabalhos Submetidos ao II Congresso TeleVisões

A ATUAL PRODUÇÃO DA TELEVISA: TELEDRAMATURGIA E MUDANÇAS

A CONSTRUÇÃO DE NARRATIVAS MULTIFRAGMENTADAS: NOTAS SOBRE O ACONTECIMENTO TELEJORNALÍSTICO CONTEMPORÂNEO

A CONSTRUÇÃO SOCIAL DA REALIDADE NA COBERTURA INTERNACIONAL DA GLOBONEWS

A DISTRIBUIÇÃO DA TRANSMISSÃO AUDIOVISUAL DA COPA DO MUNDO DE 2018 NA PERSPECTIVAVA BRASILEIRA

A ESTILÍSTICA DO ROTEIRO NA DRAMTURGIA SERIADA CONTEMPORANEA: O ROTEIRO DE CHINCANEREY

A HISTÓRIA DA TELEVISÃO EM MOSSORÓ

A LEI DA SEMELHAÇA DA GESTALT DO OBJETO NA VINHETA DE ABERTURA DA SÉRIE REQUIEM

A LINGUAGEM TELEVISIVA DE FERNANDO FARO (1927-2016): MÚSICA POPULAR BRASILEIRA E ENTREVISTA-DIÁLOGO NO PROGRAMA

A LOUCURA FEMININA NAS TELENOVELAS DO HORÁRIO NOBRE: PRIMEIRAS PISTAS DE UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA

A PARTICIPAÇÃO DESEJADA: UMA ANÁLISE DAS DISPUTAS ENTRE FÃS E INSTÂNCIA PRODUTIVA NA TELENOVELA HAJA CORAÇÃO

A PONTE TRANSMIDIÁTICA ENTRE A TV E O PALCO: MEGASHOWS PERFORMADOS POR PERSONAGENS FICTÍCIOS

A PROXIMIDADE NO JORNALISMO LOCAL E REGIONAL: PARA ALÉM DE UM VALOR NOTÍCIA

A REGRA DO JOGO SÃO OS IMAGE MACROS: A OPERACIONALIZAÇÃO DA LINGUAGEM DOS MEMES NAS PÁGINAS DE PERSONAGENS

A REGULAÇÃO DO STREAMING NO BRASIL: COMO INTERPRETAR AS PROPOSTAS RECENTES?

A TÉCNICA AUDIOVISUAL COMO PODER DE ARGUMENTAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO SOBRE AS DISPUTAS DE SENTIDO DOS SHIPPERS DE ONCE UPON A TIME

A TELENOVELA BRASILEIRA NA ERA DA CONVERGÊNCIA: ADAPTAR OS CONCEITOS ATRAVÉS DAS FRONTEIRAS?

A TELEVISÃO ECONÔMICA: MERCADO, HOMOGEINIZAÇÃO CULTURAL E PSEUDOINDIVIDUALIDADE

A TRANSMÍDIA NO UNIVERSO STAR TREK: UMA ANÁLISE DA WEBSÉRIE STAR TREK: SHORT TREKS

ABENÇOADO SEJA O FRUTO: A REPRESENTAÇÃO DA MATERNIDADE NA SÉRIE THE HANDMAID’S TALE

ALVINNN! E OS ESQUILOS- UMA ANÁLISE SOBRE A LONGEVIDADE MUSICAL DE BANDAS VIRTUAIS

ANÁLISE DE DISCURSO DO NARRADOR DA SÉRIE JANE THE VIRGIN

ANÁLISE DE ESTRATÉGIAS DE STREAMING DE SÉRIES TELEVISIVAS BRASILEIRAS NA PLATAFORMA GLOBOPLAY

AS LINHAS DO DESIGN AUDIOVISUAL COMO MEIOS PARA DESENVOLVER PRODUÇÕES FICCIONAIS

AS ORIGENS DA TV BRASIL – MARCOS FUNDACIONAIS E LEGAIS DA EMISSORA PÚBLICA

ATIVISMO DE INTERNET É ATIVISMO?: O MIDIATIVISMO EM PAUTA NO YOUTUBE

AUDIÊNCIA TRANSMÍDIA DE TELENOVELA: NOVAS FORMAS DE CONSUMO, NOVOS COMPORTAMENTOS

BANDERSNATCH: O CONSUMO MIDIÁTICO AUDIOVISUAL NA CULTURA DA CONVERGÊNCIA

BECAUSE OF YOU: A RELAÇÃO ENTRE AS TRILHAS SONORAS DE TELENOVELAS DOS ANOS 2000 E OS TOP HITS RADIOFÔNICOS

BEYCHELLA: PERFORMANCES E ATIVISMOS ACIONADOS AO VIVO NO COACHELLA 2018

BLACK MIRROR: REFLEXÕES SOBRE USOS DE TECNOLOGIAS E AS POSTURAS PERFORMÁTICAS NO EPISÓDIO “QUEDA LIVRE”

BRINCANDO DE YOUTUBE(R): YOUTUBERS MIRINS E SUAS RELAÇÕES COM AS INFÂNCIAS

CAMPANHAS ELEITORAIS MULTIPLATAFORMAS EM TEMPOS DE CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA

CHOQUE DE CULTURA: UMA ANÁLISE DA NARRATIVA DO FENÔMENO DO YOUTUBE E DA TEMPORADA NA TELEVISÃO

CICLO DE PRODUÇÃO, DISTRIBUIÇÃO E CONSUMO DE NARRATIVAS SERIADAS E A CULTURA DAS SÉRIES

COBERTURAS DA MORTE DE SENNA E DA QUEDA DO AVIÃO DA CHAPECOENSE NA GLOBO: REFLEXÕES A PARTIR DOS MEDIADORES

COGNIÇÃO E HABILIDADES REQUERIDAS E DESENVOLVIDAS NA PRÁTICA DO BINGE WATCHING DE SÉRIES

COMPETÊNCIAS TRANSMIDIÁTICAS NA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS ESCOLARES COLABORATIVOS

COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL E DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA NO YOUTUBE: TIPOLOGIAS SOBRE TENDÊNCIAS DE LINGUAGENS, NARRATIVAS E INTERACIONAIS

CONTROVÉRSIAS SOBRE A REPRESENTAÇÃO DA MULHER AFRODESCENDENTE: O CASO DO SERIADO “SEXO E AS NEGAS”

CORONELISMO ELETRÔNICO: MÍDIA, PODER E POLÍTICA NO CENÁRIO MINEIRO

DE VILÕES AFEMINADOS A FINAIS FELIZES: REPRESENTAÇÃO LGBT EM DESENHOS ANIMADOS

DINÂMICAS RACIAIS NA SÉRIE DE TV BLACK-ISH: AS DEFINIÇÕES DO QUE É SER NEGRO

DIVERSIDADE E JORNALISMO AUDIOVISUAL: A NEGOCIAÇÃO DE SENTIDO PÚBLICO NA CONTEMPORANEIDADE

DO DRAMATIZADO ÀS NARCO SÉRIES. A CONFIGURAÇÃO DO SERIADO COLOMBIANO AO LONGO DO TEMPO

DO LOCAL AO GLOBAL: O CASO DO BRASIL EM REDE

DO PESSOAL EM DISPUTA: SOBRE O LUGAR DO FEMININO NO TELEJORNALISMO BRASILEIRO

ENTRE A MÃE DEDICADA E ESTRATEGISTA OBSTINADA: A REPRESENTAÇÃO DE “MULHERES FORTES” NO MAINSTREAM DA FICÇÃO SERIADA

ENTRE FAMÍLIA SOPRANO E WESTWORLD: UM OLHAR PARA RELEVÂNCIA DAS SÉRIES DE TV NO SÉCULO XXI

ENTREVISTANDO SOBREVIVENTES DE CRIMES VIOLENTOS NA TELEVISÃO ABERTA BRASILEIRA

ESTILO TELEVISIVO E A CONSTRUÇÃO DO SOFRIMENTO POR DROGADIÇÃO EM TELENOVELAS

ESTRATÉGIAS NARRATIVAS E POLÍTICAS DAS PRODUÇÕES BRASILEIRAS DA NETFLIX

ETNOGRAFIA VIRTUAL COMO METODOLOGIA PARA ESTUDO DE COMUNIDADES DE FÃS

FICCIÓN SERIADA EN LA TV UNIVERSITARIA ARGENTINA: REPRESENTACIÓN E IDENTIDAD

FOLCLORE COMO FONTE DE ENTRETENIMENTO TELEVISIVO: ESTUDO SOBRE LA FIESTA DO GRAN PODER

GÊNEROS E FORMATOS JORNALÍSTICOS NO TELEJORNAL: REPENSANDO O MODELO CLASSIFICATÓRIO

HBO X NETFLIX: UM EMBATE ENTRE QUALIDADE E QUANTIDADE

HORA DE MONTAR!: UMA ANÁLISE DOS ESTEREÓTIPOS DAS PERSONAGENS EM SUPER DRAGS

IMAGEM-RITMO, NARRATIVA POP E CULTURA DIGITAL: A RECONFIGURAÇÃO DE FORMATOS AUDIOVISUAIS NO CONTEMPORÂNEO

ISSO NÃO É DRAG: RUPAUL’S DRAG RACE E A PADRONIZAÇÃO DAS DRAG QUEENS

JORNALISMO UTILITÁRIO: UM ESTUDO DE CASO “BOM DIA RIO” – INTERTV

KEEPING UP WITH THE KARDASHIANS: O MITO DA BELEZA, ESTIGMAS DO FEMININO E INTIMIDADE DAS CELEBRIDADES EM REALITY SHOWS

KONBANWA, TERRACE HOUSE WA: A MORAL CONTEMPORÂNEA E A ÉTICA DA AUTENTICIDADE NOS REALITY SHOWS JAPONESES

LINGUAGENS E FLUXOS MIGRATÓRIOS: O VALOR INTERMIDIÁTICO DE “13 REASONS WHY” NA EXPANSÃO DA NARRATIVA SERIADA

MAISA SILVA: DE CELEBRIDADE MIRIM A INFLUENCIADORA DIGITAL

MALÉVOLA TAMBÉM ESTÁ NA TV: CONSTRUÇÃO DE PERSONAGENS DE CONTOS DE FADAS EM DIFERENTES MÍDIAS

MARIELLE FRANCO ATRAVÉS DO JORNAL NACIONAL: UMA ANÁLISE DO SILÊNCIO CRONOMETRADO EM HORÁRIO NOBRE

METAGIRL TV: EXPERIMENTAÇÃO E DISCUSSÃO SOBRE WEBTV E LINGUAGENS JORNALÍSTICAS NO AUDIOVISUAL ONLINE

MÍDIA E CRIMINOLOGIA: O ESPETÁCULO PUNITIVO NO EPISÓDIO WHITE BEAR (2013), DE BLACK MIRROR

MILHÕES DE UNS: A AUDIÊNCIA ENTRE AS MASSAS E OS INDIVÍDUOS E O ALCANCE COMO COMPETÊNCIA DA EMISSORA NO CENÁRIO DE CONVERGÊNCIA

MULTITELANDO: ENTRE DIFERENTES SUPORTES E TELAS

MÚSICAS E VIDEOCLIPES COM MENSAGENS SOCIAIS: O CASO DO VMA DE “BEST VIDEO WITH A MESSAGE”

NA ERA DA PÓS-TV: A TRANSMÍDIA NA SÉRIE TELEVISIVA SHERLOCK

NARRAÇÃO CUMULATIVA, SERIALIDADE E STREAMING EM HOUSE OF CARDS

NARRATIVAS TRANSMIDIÁTICAS: PUBLICIDADE E FICÇÃO

NOSTALGIA E DISTOPIA: RELAÇÕES ENTRE PASSADO E FUTURO NA FICÇÃO SERIADA

NOSTALGIA RESTAURATIVA E REFLEXIVA EM SÉRIES DE TV: O CASO FULLER HOUSE

NOVOS USOS DA NARRATIVA TELEJORNALÍSTICA NO BRANDED CONTENT: UMA ANÁLISE DO SITE COCA-COLA JOURNEY

O BRASIL DE MACHADO DE ASSIS NAS NOVELAS DE GILBERTO BRAGA

O CENÁRIO DA ACESSIBILIDADE DAS TVS ESTATAIS BRASILEIRAS NA WEB

O ESPAÇO E A PERCEPÇÃO DA INFORMAÇÃO NA GRADE BRASILEIRA

O HERÓI E O VILÃO NA FICÇÃO SERIADA: UMA ANÁLISE DOS ARQUÉTIPOS PRESENTES NA SÉRIE SUPERNATURAL

O INFOTENIMENTO NOS PROGRAMAS DE TURISMO

O JOGO IDEOLÓGICO OCULTO NO TELEJORNAL: UM OLHAR SOBRE A CONSTRUÇÃO DO DISCURSO NOTICIOSO NO JORNAL NACIONAL

O TELEVISONAMENTO DO MUNDO: MOVIMENTOS NO TEMPO ENTRE O DENTRO E O FORA DA TELEVISÃO

O USO DO WHATSAPP NO TELEJORNALISMO: FLAGROU TÁ NA RECORD – TV PAULISTA BAURU

O VIDEOCLIPE ENQUANTO CONDUTOR DE NARRATIVA DE FICÇÃO SERIADA: UMA ANÁLISE DE CHIQUITITAS (SBT)

OS DEZ MANDAMENTOS: A TELEDRAMATURGIA BÍBLICA COMO ESTRATÉGIA DE MERCADO DA RECORDTV

OS REIS DO BAILE: NARRATIVAS MIDIÁTICAS E MODOS DE SER PROPOSTOS PELO FUNK OSTENTAÇÃO

OS TELEJORNAIS E AS GREVES: UM ESTUDO DE CASO DE ALGUMAS MATÉRIAS DA TV SUDOESTE NO ANO DE 2015

PARA QUEM VÊ, PARA QUEM VIU: UM ESTUDO ACERCA DO CONTEÚDO INFANTIL

PARTICIPAÇÃO DO TELESPECTADOR NA ESTRATÉGIA DA REDE GLOBO: O CASO DA CAMPANHA ‘O BRASIL QUE EU QUERO’

POR UMA POÉTICA DO STORYTELLING TELEVISUAL (OU DE QUANDO JASON MITTELL SE EQUIVOCA, MESMO QUANDO PARECE TER RAZÃO)

POTÊNCIAS E FRAGILIDADES DE CASOS DE FAMÍLIA NA DISCUSSÃO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

PRESENÇA DO NEGRO EM TELENOVELAS: UMA ANÁLISE DA NARRATIVA DE JOÃO EMANUEL CARNEIRO

PRINCÍPIOS E RECURSOS DA CONTINUIDADE NARRATIVAS: DOS COMICS DE SUPER-HERÓIS A FICÇÃO SERIADA PARA TELEVISÃO

PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE MEMES NA TV SOCIAL

PROTAGONISMO NEGRO NAS SÉRIES TELEVISIVAS ESTADUNIDENSES: A TEMPORADA 2017-2018 NAS REDES DE BROADCASTING

QUAL É O MEU PARTIDO? UM OLHAR SOBRE A (IN)VISIBILIDADE DO PROJETO ESCOLA SEM PARTIDO PELO JORNAL NACIONAL

QUEM SÃO ELAS? MULHERES NEGRAS NAS SÉRIES BRASILEIRAS

REACTION VIDEOS ESTRANGEIROS SOBRE VIDEOCLIPES BRASILEIROS NO YOUTUBE: PERFORMANCES DE GOSTO E VALOR MUSICAL

RECEPÇÃO DAS TEMÁTICAS SOCIAIS EM O OUTRO LADO DO PARAÍSO

(RE)CONSTRUINDO MUNDOS FICCIONAIS: A ESTRUTURA DO PLOT TWIST EM MR. ROBOT

REFLEXIVIDADE COMO ESTÉTICA TELEVISIVA: MANIFESTAÇÕES NO BRASIL E NO MUNDO ENTRE OS SÉCULOS XX E XXI

REPRESENTAÇÃO, NEGRITUDE E MEMÓRIA

REPRESENTAÇÕES CONTEMPORÂNEAS DE PERSONAGENS TRANS EM FICÇÕES SERIADAS TELEVISIVAS

REPRESENTAÇÕES DA SUBJETIVIDADE DO SUJEITO PÓS-MODERNO: UMA ANÁLISE DE SENSE8

RJ MÓVEL E OS LIMITES DA EMOÇÃO NO JORNALISMO

SBT E A REPRESENTATIVIDADE NEGRA NA INFÂNCIA

TELEJORNAIS POLICIAIS: USOS DOS ESTEREÓTIPOS SOCIAIS NA ATRIBUIÇÃO DO VALOR VIDA

TELENOVELA E CONTROVÉRSIAS EM REDE: PÚBLICOS MOBILIZADOS EM TORNO DE “A FORÇA DO QUERER”

THE HANDMAID’S TALE – REPRESENTAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE RACIAIS NA ADAPTAÇÃO TELEVISIVA DE UM ROMANCE

THE RISE OF ORISHAS: A ASCENSÃO DO AUDIOVISUAL PERIFÉRICO

THIS IS US: O USO DO FLASHBACK NA CONSTRUÇÃO NARRATIVA AUDIOVISUAL

TV PÚBLICA E MOBILIDADE: UM PANORAMA DA OFERTA DE CONTEÚDO PARA OS DISPOSITIVOS MÓVEIS

UMA DISTOPIA BRASILEIRA EM DOIS TEMPOS: AS VISUALIDADES DA SÉRIE 3%

UMA TELEVISÃO (NÃO) PÚBLICA NA HISTÓRIA DO BRASIL: PERFIL DAS EMISSORAS DO “CAMPO PÚBLICO”

USUÁRIOS ATIVOS NO TWITTER: UMA ANÁLISE DO PÚBLICO DO MG MÓVEL

VALE TUDO NA VIDA E NA DRAMATURGIA: PRATICAS CORRUPTIVAS A PARTIR DE VILÃS DE TELENOVELAS

VERDADES SECRETAS: O CONCEITO DE NOVELA DAS 11 APLICADO AS SÉRIES BREAKING BAD E MAD MEN

VHS E BETAMAX – ESTÉTICA E MEMÓRIA DE FITAS ANALÓGICAS EM CIRCULAÇÃO NO YOUTUBE E VIMEO

VÍDEO E NOVAS TECNOLOGIAS: AUTOCURADORIA E PADRÕES DE CONSUMO EM PLATAFORMAS ON DEMAND

ZERO1: ENTENDENDO YOUTUBERS COMO INFLUENCIADORES DA INOVAÇÃO NO FORMATO DE UM PROGRAMA TELEVISIVO